103 casos de Covid-19 – GOVERNO RAFAEL PEDE APOIO PARA EVITAR LOCKDOWN E ‘TRAGÉDIA’

Rafael implorou ajuda da população para alcançar 60% de taxa de isolamento social no domingo, mas não foi atendido (FOTO: Reprodução Facebook)

DOENÇA AVANÇOU MAIS DE 186% EM 10 DIAS, CONFIRMANDO DESCONTROLE DA SITUAÇÃO EM JAÚ

Após críticas e apelos do HORAH, o governo Rafael Agostini se comunicou minimamente sobre a escalada de casos de Covid-19 em Jaú, especialmente nos últimos 10 dias. A ineficiência do governo levou à perda de controle da situação, com crescimento de mais de 186% de casos da doença em apenas 10 dias – dia 4 eram 36 casos positivos e, nesta 5ª feira (14), são 103. O descontrole veio acompanhado da cogitação do polêmico lockdown, para restringir ainda mais a circulação das pessoas na cidade, frustrando a expectativa de retomada gradual da economia.

Ainda que ninguém do governo se exponha regularmente à sabatina da imprensa e da própria população para dirimir dúvidas sobre o assunto, hoje o prefeito Rafael e o secretário porta-voz do comitê de crise Carlos Ramos Kakai se manifestaram nas redes sociais, terreno escolhido para falar sem ter de se explicar. Ambos afirmaram que o governo não deseja o lockdown e pediram a colaboração da população para aumentar o isolamento e reduzir a velocidade do contágio da doença.

Sempre atrasado nas ações, Rafael apareceu pela primeira vez em vídeo usando máscara: “situação muito grave” em Jaú (FOTO: Reprodução Facebook)

DESAFIO – “A progressão não é mais aritmética, é geométrica”, resumiu Rafael, observando que “em pouco mais de uma semana foram mais de 60 casos positivos” para Covid-19 na cidade. “Não quero decretar mais restrições nem o lockdown”, afirmou, desafiando a população a atingir isolamento de 60% no próximo fim de semana – os dois últimos ficaram abaixo dos 50%, o que ele classificou de “inaceitável”. Rafael encerrou 7 minutos e meio de vídeo dizendo: “Juntos, nós podemos evitar o lockdown”.

REALISTA – Kakai não foi diferente. Ele disse que o “momento é muito crítico” e que as vagas de UTI estão “chegando no limite” em Jaú. Às críticas sofridas pelo governo, falou que “ao invés de ficarmos nos acusando e fazendo discussões vazias, é preciso fazer o isolamento social, manter as regras sanitárias, fazer com que o número de casos não dispare [ainda mais], para que a gente não viva uma tragédia”. Kakai foi realista. E garantiu que o “lockdown é tudo o que nós (do governo) não desejamos”, mas que é preciso “a colaboração de todos para evita-lo”.

HORAH – A verdade dos fatos