DAEM pede ‘consumo racional imediato’ de água por causa da estiagem prolongada

Cascata sofre com falta de chuva significativa há mais de 70 dias em Marília (FOTO: Pref. Marília/Reprodução)

Em comunicado distribuído pela Prefeitura de Marília, o DAEM está solicitando à população que faça uso ‘racional imediato’ de água, dada a estiagem de mais de 70 dias na cidade. A última chuva significativa, com potencial para ampliar os reservatórios da cidade, ocorreu apenas em 15/4, segundo o comunicado: foram 21 milímetros.

“Marília entra em período crítico com relação à estiagem e umidade relativa do ar”, diz a nota da Prefeitura, com base no último boletim meteorológico da Defesa Civil de SP. O que chamou a atenção para essa conclusão foi que todas as previsões de chuva expressiva para maio não se confirmaram e que a partir de setembro há indicações de que as temperaturas vão subir “de forma mais expressiva” na região; até lá, prevalece o histórico de pouca chuva em junho, julho e agosto.

Os efeitos da falta de chuva podem ser notados claramente na Represa Cascata, zona leste, que está com nível muito baixo e bancas de areia ficando aparentes em vários pontos. Para ter ideia da situação crítica, só pode haver captação de água no local com 3,5 metros de profundidade e, atualmente, a represa está com 3,9, e baixando. Para complementar o que falta, o DAEM utiliza água da represa do Norte e do poço profundo P05, além de fazer remanejamento da água do sistema Peixe, que também começa a sofrer com a estiagem.

HORAH – Informação é tudo