Ao menos 50 profissionais de 3 hospitais de cidades diferentes participaram de captação simultânea de órgãos de 2 corpos e ajudaram a salvar as vidas de 12 pessoas na 5ª feira (9). A captação foi feita no Hospital Regional de Presidente Prudente, com aval dos familiares dos doadores, e os transplantes realizados em Rio Preto e São José dos Campos.

Equipes do Hospital de Base de Rio Preto e do Beneficência Portuguesa, de São José, foram a Prudente e captaram 2 pulmões, 2 fígados, 4 rins e 4 córneas. Os doadores foram um homem de 44 anos e uma mulher, de 46, que tiveram o óbito confirmado na 4ª feira (8). As equipes médicas e de enfermagem foram a Prudente de avião, chegaram às 8h e retornaram para suas cidades às 14h.

  • Equipe com órgãos captados para transplantes embarcando após procedimentos em Prudente (FOTO: Hospital Regional/Divulgação)

RARO – A captação de pulmões é mais difícil que de outros órgãos, por causa do curtíssimo tempo de resistência do órgão fora do corpo. Por isso, exige grande mobilização coletiva e agilidade. Foi a 3ª vez na história do Hospital Regional que pulmões foram captados para transplante, segundo Renato Ferrari, da Comissão Intrahospitalar de Transplantes (CIT).

“Em média, somente 10% dos doadores têm pulmões saudáveis, que não sofreram consequências da morte encefálica, então é um órgão muito escasso”, explicou Ferrari. Isso, somado à baixa resistência do órgão fora do corpo, exige “conscientização das famílias dos doadores, mobilização e agilidade das equipes médicas”. Para ser doador é necessário manifestar essa vontade à família, visto que apenas parentes podem dar autorização para captação de órgãos.

  • Captação simultânea de órgãos de 2 doadores envolveu 50 profissionais de 3 cidades e hospitais em Prudente (FOTOS: Hospital Regional/Divulgação)

HORAH – Você sabe mais