• Águia, da PM, usou o pátio do Batalhão como base para levantar voo e seguir com o coração para Botucatu: 25 minutos que valeram uma vida (FOTO: PM/Divulgação)

Um sucesso. Assim foi resumida a mobilização para retirar e transplantar um coração nesta 6ª feira (17), que envolveu equipes médicas da Santa Casa de Jaú e do Hospital das Clínicas da Unesp, em Botucatu. Uma cidade fica distante da outra pouco mais de 81 km. Para garantir a saúde do órgão que seria transplantado, foi solicitado apoio do helicóptero Águia da Polícia Militar, que usou como base o Batalhão da PM em Jaú.

  • O helicóptero pousou no distrito de Rubião Júnior, onde fica o HC da Unesp Botucatu: 1.o transplante de coração na instituição, autorizada a realizar esse procedimento desde o ano passado (FOTO: Reprodução/Acontece Botucatu)

DOADOR – O coração foi removido de um homem com morte cerebral após acidentar-se no trevo de Itapuí, cidade vizinha de Jaú, no domingo (12). Equipe médica da Unesp Botucatu acompanhou o procedimento na Santa Casa de Jaú. Colocado em caixa térmica, o órgão foi levado em viatura da PM até o Batalhão e, de lá, transportado de helicóptero para Botucatu. Deu tudo certo.

NOVIDADE – Segundo apurou HORAH, esta foi a primeira captação de coração na Santa Casa jauense e também o primeiro transplante do órgão na Unesp Botucatu. Outros órgãos teriam sido removidos do doador para beneficiar outros pacientes, mas não foram informados quais nem quantos. Os nomes dos envolvidos nos procedimentos de doação e transplante não foram divulgados, por questão de ‘ética médica’, mas HORAH obteve a informação de que o receptor é um paciente adulto, do sexo masculino.

  • Clima era de entusiasmo entre médicos e demais profissionais envolvidos na captação, transporte e transplante do órgão (FOTO: PM/Divulgação)

HORAH – Você sabe mais