Prefeitura de Bariri deve cancelar contratos de terceirização de serviços por ordem judicial

Decisão da Justiça sai após operação dos promotores do Ministério Público na prefeitura de Bariri, no início deste mês: coincidência? (FOTO: Reprodução web)

O prefeito Abelardo Simões Filho, o Abelardinho, deve se desfazer dos contratos de terceirização de serviços que deveriam ser prestados por servidores públicos municipais no município de Bariri, região de Jaú. A decisão da Justiça saiu em atendimento a solicitação do Ministério Público (MP), que apontou algo em torno de 150 contratos que deverão ser cancelados. A determinação veio após operação dos promotores do MP na prefeitura da cidade no início deste mês, resultado de investigações iniciadas anteriormente.

Todos esses contratos, segundo o MP, são de serviços temporários. Isso inclui licitações que resultaram na contratação de diversas atividades, inclusive de professores de modalidades esportivas e de fisioterapeutas. A Justiça determinou o prazo de 180 dias para o prefeito se desfazer dos contratos, sob pena de multa diária no valor de R$ 5 mil, até o limite de R$ 1 milhão.

HORAH fez contato com o prefeito Abelardinho por aplicativo de mensagens, mas ele não respondeu até a conclusão desta matéria. O site oficial da prefeitura de Bariri também não divulgou nenhuma informação sobre o assunto. Ao portal G1, representante da administração teria dito que a municipalidade ainda não foi notificada da decisão judicial, mas que fará o que estiver determinado.

HORAH – Informação é tudo