REPRESENTAÇÃO PEDE EXONERAÇÃO DE CANDAROLLA E IMPEDIMENTO DA NOMEAÇÃO DE NETO LEONELLI

Candarolla, supervisor de ensino, e Neto Leonelli, secretário de Projetos, na mira do MP (FOTOS: Reprodução web e WhatsApp)

ATUAL SUPERVISOR DE ENSINO E POSSÍVEL NOVO SECRETÁRIO DE PROJETOS DO GOVERNO IVAN CASSARO EM JAÚ SÃO ACUSADOS DE SEREM ‘FICHAS SUJAS’

Representação ao 3.o Promotor de Justiça Rogério Rocco Magalhães pede a “exoneração imediata” do supervisor de ensino Orivaldo Candarolla e o impedimento da nomeação do advogado Norberto Leonelli Neto, mais conhecido por Neto Leonelli, na Secretaria de Projetos da prefeitura de Jaú. Ambos são apontados como ‘fichas sujas’ e respondem a várias ações por improbidade administrativa e dano ao erário praticados na gestão do ex-prefeito Osvaldo Franceschi (2008-12), de acordo com a representação assinada pelo repórter fotográfico Flávio Augusto Melges, o Tuca. O documento tem a data de 2 de março.

Orivaldo está no governo Ivan Cassaro desde 13 de maio do ano passado, onde acumula o cargo de diretor de escola e de supervisor de ensino (Jornal Oficial nº 999); Neto Leonelli seria cogitado para a Secretaria de Projetos, atualmente sem titular e interinamente sob a responsabilidade de Márcio PX, que responde pela Mobilidade Urbana e diversas outras funções na administração. No caso de Candarolla, a representação enumera 4 ações por improbidade com dano ao erário; uso de entidade para contratação de profissionais sem concurso público; contratação suspeita de empresa para reformar escolas, que teria sido paga pela prefeitura sem executar serviços; e compra de lousas digitais acima do valor de mercado.

Da mesma forma, Neto Leonelli possui 4 ações por improbidade e dano ao erário, entre elas a questão das lousas, da reforma de escolas, “contratação emergencial e irregular de transbordo do lixo” e de empresa para sinalização viária na cidade. Neste caso, diz a representação que o advogado “não possui a necessária idoneidade moral para ser nomeado secretário”. Por fim, o documento levado ao Ministério Público (MP) por Tuca Melges, que atuou na campanha eleitoral de Ivan e participou do início do governo dele, pede que o promotor Rocco Magalhães apure “a conduta do prefeito e da secretária da Educação”, Elenira Cassola; que reverta a nomeação de Candarolla, “ainda que judicialmente”; e impeça a nomeação de Neto Leonelli.

HORAH – Informação é tudo

O repórter fotográfico Tuca Melges, autor da representação ao MP (FOTO: Cesar Melges/Reprodução)