Quarto índio envolvido no estupro coletivo de uma indígena adolescente de 15 anos em Avaí, região de Bauru, foi preso em Campinas, nesta 6ª feira (3). Ele tem 24 anos e foi localizado no alojamento da universidade em que estuda. Os outros 3 acusados foram presos dia 30, em Avaí.

  • 4.o acusado de estupro coletivo de adolescente também é indígena e estudava em Campinas, onde foi preso (FOTO: Polícia de Bauru/Reprodução)

O crime aconteceu em fevereiro, na aldeia Kopenoti, Reserva Araribá, após todos terem consumido bebida alcoólica. A polícia de Bauru conduziu as investigações por quase 2 meses até esclarecer o crime e identificar os acusados. O caso foi comunicado à polícia pela família da adolescente, alguns dias depois, após ela reclamar de dores. Exames clínicos confirmaram o estupro.

  • Outros 3 indígenas acusados de envolvimento no crime foram presos em Avaí, dia 30 (FOTO: Polícia/Reprodução)

CONFISSÃO – 2 dos presos confessaram o crime e admitiram uso de álcool e maconha, inclusive pela jovem. Ela teria aceitado carona de um dos rapazes e acabou na casa dele, onde se relacionaram. Na sequência chegaram os outros, que também tiveram relações sexuais com a adolescente, sendo que um deles fez fotos do estupro.

TRATAMENTO – A índia passa agora por acompanhamento psicológico e do Conselho Tutelar de Avaí, que relata não serem raros os casos de violência sexual nas aldeias do município. Álcool e drogas estariam por trás da maioria desses crimes. Um deles envolve 3 irmãs indígenas menores de 12 anos.

  • Estupro coletivo da indígena adolescente aconteceu na Reserva Araribá (FOTO: Reprodução TV Tem)

HORAH – Você sabe tudo