Piorou – “VAI RESTRINGIR”, DIZ SECRETÁRIO, PREOCUPADO COM NÚMEROS DA PANDEMIA

Números ruins devem levar a mais restrições, mas não está decidido ainda se chegará a fechar novamente o comércio (FOTO: Ricardo Grossi/HoraH)

Jaú registra mais 31 casos de Covid e outro óbito, de paciente da região; ocupação de leitos passa dos 60%

Trinta e um casos positivos a mais de coronavírus em Jaú nesta 3ª feira (14), em relação ao que havia ontem, e mais uma morte de paciente da região na Santa Casa. Os números da pandemia da Covid-19 não param de crescer e preocupam. Tanto que autoridades municipais não descartam retroceder no plano de retomada da economia local já nesta semana, apesar da classificação estadual colocar a cidade na fase Laranja do Plano SP, em que diversos serviços não essenciais podem abrir.

Rafael deve tomar decisão nesta 4.a feira, com base nos indicadores de que dispõe na Prefeitura (FOTO: Reprodução TV Câmara)

“Não é o Estado (que vai nos rebaixar), só Jaú. Ficamos várias semanas bem. Mas agora está ruim. Precisa quebrar a onda”, justificou o secretário do Desenvolvimento Econômico Carlos Ramos, o Kakai, porta-voz do comitê de enfrentamento da pandemia na cidade. Ele falou ao HORAH por mensagem de WhatsApp e confirmou que nesta 4ª feira (15), o prefeito Rafael Agostini “deve decidir” o que fazer. E adiantou: “Vai restringir. Mas ainda não está definido até que ponto”.

Os números de fato pioraram, como HORAH tem alertado quase que diariamente. Com 150 mil habitantes, a cidade coleciona 18 mortes locais por Covid, mais 14 de pacientes de fora tratados em Jaú, totalizando 32 óbitos na Santa Casa. O novo óbito inserido no boletim epidemiológico de hoje é de paciente de Bariri. Em relação ao dia 1º deste mês, quando Jaú tinha 452 casos confirmados da doença, hoje são 167 a mais – quase 13 novos casos a mais todos os dias. Suspeitos, agora são 225.

kakai é porta-voz do comitê de enfrentamento da pandemia em Jaú: situação vinha bem, mas piorou nos últimos dias (FOTO: Reprodução Facebook)

Na Santa Casa a preocupação com a ocupação de leitos destinados à Covid também é crescente. Hoje havia 17 pacientes na UTI (são 28 leitos no total) e 21 na enfermaria (33 leitos disponíveis). Ou seja, ocupação sempre superior aos 60%. Houve dias em que a situação foi muito melhor, mas começou a piorar e não retrocedeu mais. Entre membros do comitê da pandemia, predomina pensamento de que é preciso restringir a circulação de pessoas e, com isso, a propagação do vírus. Uma das alternativas seria reduzir a flexibilização da quarentena pelos próximos dias.

HORAH – Você bem informado