Vira-Virou – APÓS REBAIXAMENTO, SECRETÁRIO MUDA DE IDEIA E DIZ QUE PREFEITURA VAI “BRIGAR, SIM”

Segundo secretário Kakai, tudo ficará como está em Jaú, inclusive com o comércio aberto, até segunda ordem (FOTO: Ricardo Grossi/HoraH)

Horas antes, kakai havia afirmado que Jaú cumpriria o que fosse determinado

A Prefeitura de Jaú está decidida a não cumprir o rebaixamento à Fase 1 ‘Vermelha’ do Plano SP, imposto pelo Governo do Estado na 6ª feira (26), que é a mais restritiva da retomada das atividades econômicas durante a pandemia do coronavírus. “Sim, nós vamos brigar”, respondeu enfaticamente o secretário do Desenvolvimento Econômico Carlos Ramos, o Kakai, uma espécie de porta-voz da Administração quando o assunto é o enfrentamento à Covid-19.

kakai mudou o pensamento com o rebaixamento: antes do almoço, disse que brigar não levava a nada; depois do almoço e da reclassificação de Jaú para baixo, afirmou que Prefeitura vai “brigar, sim” (FOTO: Reprodução Redes Sociais)

Em áudio que circula nas redes sociais, Kakai afirma estar “revoltado com essa situação”. No trecho de maior desabafo, ele diz: “(…) foi difícil chegar até aqui, as pressões e as críticas que nós aguentamos pra poder dar um passo de cada vez, e chegar nesse momento, há três semanas com o comércio aberto, escritórios, serviços funcionando, agora retomando salões de beleza e restaurantes. Dos cinco indicadores do Governo de São Paulo, em três temos níveis de Faixa ‘Amarela’ (que é a 3) e em dois, da Faixa ‘Verde’ (4). Então não tem cabimento fazer Jaú voltar pra Faixa 1”.

TUDO IGUAL – Segundo a reclassificação estadual, toda a região em que Jaú está inserida deve cumprir as exigências da Faixa ‘Vermelha’, de Alerta Máximo, a partir da próxima 2ª feira (29), mantendo abertos apenas serviços essenciais, como farmácias, supermercados e postos de combustíveis. Kakai retrucou: “Até segunda-feira não vamos publicar nenhum decreto. Vamos manter tudo como está. Na segunda, vamos fechar o balanço, mandar de novo informações para o Ministério Público (que já recebeu esclarecimentos da Prefeitura na 5ª feira, sobre a reabertura de restaurantes e salões de beleza), para mostrar como estamos. Vamos informar também o Governo do Estado e tentar nos manter da maneira como estamos. Nós merecemos isso”.

VIRA-VIROU – Mas a postura do secretário não era essa até o governo rebaixar Jaú para a Fase ‘Vermelha’. Horas antes disso, na manhã da própria 6ª feira, em entrevista exclusiva ao HORAH, ele havia dito que a Prefeitura não brigaria se tivesse de retroceder nas flexibilizações. “A experiência está mostrando que isso é mais marketing eleitoral do que atitude séria (…). Não é uma questão jurídica, não vamos partir pra isso. Se o Ministério Público entender que nós devemos voltar, vamos respeitar e publicar novo decreto atendendo a decisão”, disse. Segundo ele, eventual ‘briga judicial’ que muitos municípios estão travando para sustentar atividades econômicas em funcionamento, “de efeito prático não traz nada, e cria uma falsa expectativa nas pessoas”. Kakai afirmou na ocasião que trabalhará “para convencer (o MP e o Governo), de uma maneira cordial, respeitosa; se eles atenderem nosso pedido, ótimo; se disserem que devemos cumprir (o até então possível rebaixamento), vamos cumprir a lei”.

CULPADOS – O secretário também jogou a culpa do retrocesso nas cidades que foram mais permissivas, ao se pronunciar depois da reclassificação estadual. “Várias prefeituras (…) ficaram fazendo oba-oba, abrindo quando não podia, fazendo concessões, jogando pra torcida (…), e o que acontece? Agora nós estamos bem, elas estão ruins, e nós vamos pagar o preço pela incompetência delas? Não, isso não podemos admitir”, finalizou Kakai, deixando evidente a mudança de postura sobre a injustiça estadual agora cometida com Jaú, mas que antes já havia recaído sobre outras cidades, que não aceitaram e decidiram ‘brigar’ por seus direitos.

HORAH – Jornalismo com Credibilidade